O que é e como funciona o gerenciamento de categoria?

Atualizado em

O Gerenciamento de Categoria é uma metodologia presente no modelo ECR (Efficient Consumer Response), ou seja, Resposta Eficiente ao Consumidor. Trata de um processo de uma parceria entre varejista e fornecedor para definir as categorias de produtos em cada ponto de venda conforme a necessidade que atendam (ex: matinais, beleza, limpeza) e gerenciá-las como se fossem unidades estratégicas de negócios.

Se preferir, ouça o conteúdo deste blogpost:

O método procura aumentar as vendas e a lucratividade através de esforços para agregar maior valor ao consumidor final. Existe um trabalho de entender muito bem quem é o cliente e o que ele precisa, além de se executar ações focadas em otimizar a área de vendas da loja, de forma que a rentabilidade dos produtos seja ampliada.

Entre as ações práticas, no Gerenciamento de Categoria há a possibilidade de gerar uma melhor organização dos produtos na loja conforme o que o cliente precisa, mantendo, entre outros, disponibilidade de estoque, boa sinalização e preço adequado ao público-alvo.

Um exemplo, seria olhar estrategicamente para a categoria alimentar e entender que é estratégico que ela esteja situada em uma área próxima à categoria de bebidas.

Outro exemplo seria segmentar a categoria de bebidas em subcategorias, como alcoólicas, fermentadas, destiladas, não alcoólicas, isotônicas, carbonatadas, não carbonatadas, etc. Ou ainda, trabalhar os SKUs, ordenando produtos por variáveis de embalagens, sabores, cores, fragrâncias, etc.

Cargo de Analista de Gerenciamento de Categorias

O cargo de analista de gerenciamento de categoria é alguém que consegue interpretar os relatórios de vendas dos produtos, na Curva ABC, por região, loja e etc, e assim tomar decisões que ajustem o produto e espaço físico da loja.

Leia também: Salários de Analista de Gerenciamento de Categorias segundo o site Glassdoor

Como obter informações para o Gerenciamento de Categoria?

Com a ajuda de tecnologias de inteligência para o varejo, é possível conhecer dados relevantes sobre a venda de seus produtos e compará-los aos seus concorrentes.

A vantagem deste serviço é justamente a de poder contar com dados de alta confiabilidade e gerados de forma automatizada. O trabalho é menor, a tomada de decisão tende a ser muito mais assertiva e ações podem ser implementadas de forma rápida.

Um bom relatório para o Gerenciamento de Categorias precisa conter informações sobre a venda dos produtos da Curva ABC, preços, além de vendas por região e loja. Isto te dará uma boa percepção sobre como melhorar a exposição dos itens ante o consumidor.

A Connect shopper é uma empresa que auxilia no desenvolvimento de Gerenciamento de Categoria, em varejos por todo o Brasil, fundada pela Fatima Merlin uma das maiores especialistas em Varejo, comportamento do consumidor e shopper. 

O que analisar no Gerenciamento de Categoria?

Com os dados em mãos é preciso analisá-los, questionando o que cada um traz de insight para a definição da categoria. Em seguida, é necessário planejar, propor e executar ações para otimizar a venda do produto.

Procure observar estes fatores:

  • Sortimento: quais produtos são relevantes para seus consumidores e, ao mesmo tempo, para atingir os objetivos do negócio;
  • Reposição: como fazer para que os itens sempre estejam em estoque, evitando rupturas;
  • Preços: quais os preços que serão trabalhados para o consumidor final dos produtos da categoria analisada;
  • Promoção: quais serão as promoções realizadas e canais utilizados na divulgação;
  • Apresentação: como a categoria será apresentada na gôndola do mercado, onde ficará situada, qual o layout, itens próximos, etc;
  • Novos produtos: como identificar novas oportunidades de vendas e tendências de mercado.

Vale lembrar que o mercado do varejo está em constante transformação e, para manter um processo de gerenciamento de categoria otimizado, é preciso acompanhar essas mudanças. 

A necessidade de integração dos canais online e offline para otimizar a experiência do shopper, por exemplo, é algo que tende a impactar cada vez mais a realidade dos varejistas. 

Em seu artigo para o Linkedin “A nova era do gerenciamento por categoria #shoppercracia”, Fatima Merlin trata de algumas adaptações importantes a serem consideradas no processo de implementação do gerenciamento de categoria em um cenário omnichannel (todos os canais – online e offline). 

Ela destacou, por exemplo, que: “A terceira adaptação tem a ver com incorporarmos um pilar de geração de insights acionáveis, compreendendo, avaliando e controlando todos os canais (on e off) e a jornada integrada de compra e consumo, para oferecer ou pensar em soluções omnichannel, entendendo que as categorias podem assumir diferentes papéis nos diferentes canais, o que nos leva à diferentes estratégias e táticas”.

Confira o artigo na íntegra

Deixe um comentário