Como precificar um produto do varejo físico com tecnologia 

Atualizado em

Quer saber como precificar um produto do seu varejo físico com mais praticidade e eficiência ? 

Se em algum momento da jornada de precificação do seu varejo, você teve que usar planilhas, encontrou erros, ou ficou atrás da concorrência em competitividade e não conseguiu aumentar as margens. Esse artigo é ideal para você entender como precificação inteligente é a solução para o seu negócio. 

Saiba que usar tecnologia para precificação pode auxiliar no seu ganho de margem, aumento de lucratividade e melhora da competitividade frente a seus concorrentes. 

Além disso, permite negociar melhor com os seus fornecedores e tomar decisões estratégicas para o seu negócio. 

Entenda abaixo, tudo o que você precisa saber sobre como precificar um produto utilizando a tecnologia.

O que é precificação? 

Para saber como precificar um produto é muito importante delimitar o que é precificação, ou pricing. A precificação é um modelo de atribuir preços aos seus produtos, mas por mais simples que a palavra possa parecer, existem diversas camadas e etapas que devem ser avaliadas antes de definir o valor final. 

Muitos negócios, dos pequenos aos grandes, acreditam que basta atribuir o preço com base nos custos dos produtos. Entretanto, essa é uma prática que vem sendo desencorajada pelos especialistas, pois não considera a concorrência e o valor do produto percebido pelos consumidores. 

O foco em vender sempre pelo preço mais baixo, buscar ter as melhores promoções, pode até ser efetivo no curto prazo para muitos varejistas dependendo da sua estratégia comercial. Mas, para quem quer ser mais competitivo e está próximo de  concorrentes fortes, essa estratégia não é a mais efetiva. 

A precificação leva em consideração diversos fatores,  sendo eles, os econômicos, os diferentes modos de consumo, de acordo com cada região do país. Fatores esses que devem ser levados sempre em consideração, principalmente se você possuir lojas em mais de uma região. 

Segue abaixo fatores importantes a  serem considerados na definição de preços: 

  • custos fixos e variáveis da loja;
  • Entender quem são seus concorrentes diretos;
  • valor praticado pelos concorrentes;
  • ciclo de vida do produto;
  • estratégia de posicionamento da marca;
  • Estudo do comportamento de compra dos consumidores.
  Ebook gratuito   Aumente sua margem de lucro com a precificação inteligente

Estratégias de precificação mais utilizadas

Existem muitas estratégias de precificação que podem ser utilizadas aliadas à tecnologia. Para definir qual a melhor forma de precificação para o seu negócio é necessário identificar o seu posicionamento, qual seu público alvo, estudo da região onde está localizado, quais produtos serão ofertados, entre outros. 

Atualmente as duas estratégias de precificação mais utilizadas no Brasil e no mundo são:

Como precificar um produto seguindo a estratégia Every Day Low Price 

O Every Day Low Price, EDLP ou preço baixo todo dia, é uma das estratégias mais comuns, principalmente nos Estados Unidos. Nela, o preço dos produtos são mantidos sempre baixos ou com pequenas variações. O resultado da escolha dessa pratica de precificação é um reconhecimento por parte do consumidor de que o varejo  pratica os preços mais baixos do mercado. Com isso, a demanda pode se tornar constante e previsível, o que facilita a gestão de vendas e gestão do estoque. 

Entre os  pontos positivos da utilização de preços mais baixos, ressalta-se o marketing boca a boca, a fidelização de clientes, gastos reduzidos com promoções e propaganda, já que os preços já são entendidos pelos clientes como os mais baixos do mercado. 

Contudo, para essa estratégia funcionar o varejista precisa ter controle absoluto dos seus custos, produtos e estoques. Por causa da margem reduzida, qualquer perda pode ter impacto negativo nos resultados da loja. 

Por causa da popularidade das promoções e ofertas no Brasil, o preço baixo todo dia não é uma prática muito aplicada por aqui. Já que a competição fica ainda mais acirrada. 

Como precificar um produto seguindo a estratégia High and Low

Já a estratégia High and Low, em tradução alto baixo, o modelo de preços é estabelecido com uma margem mais alta, permitindo que o varejista precificar seus produtos com promoções mais frequentes. 

 Essa estratégia é muito utilizada no Brasil, com ajuda de divulgação em massa, tais como: propaganda nos veículos de comunicação, tablóides e redes sociais. A loja não terá fama de barata pelos clientes, mas criará a percepção de oportunidade e vantagem ao pagar mais barato por produtos que eram mais caros. 

Com a precificação considerando margem essa estratégia, permite o varejista criar o equilíbrio entre rentabilidade e volume de vendas.. Muitos varejistas, inclusive, usam dessa técnica para colocar produtos que não estão girando em promoção, regularizando o estoque e aumentando o giro. 

Como foi mencionado, existem diversas estratégias que devem ser consideradas de acordo com cada loja. Confira esse conteúdo com 8 estratégias de precificação para o varejo.

Dica Bônus gratuita

Como precificar um produto utilizando o Markup

A precificação de produtos se baseia de forma simplista e inicial em um método conhecido como mark up que nada mais é, do que um percentual aplicado sobre o custo total do produto para se obter o preço de venda visando o lucro.

Apesar de prático, não é forma mais precisa de gerar preços para os seus produtos, pois não leva em consideração outros aspectos, como os concorrentes, estudo do público-alvo e outros pontos que serão abordados ao longo deste artigo. 

Para definir o markup a ser adicionado ao valor do produto, você precisa ter em mãos as despesas fixas, as despesas variáveis, o custo do produto e a margem de lucro estimada pelo varejista. 

  • Despesas fixas: todos os gastos que não estão diretamente relacionados ao produto. Como as despesas financeiras, administrativas, comerciais e outras. 
  • Despesas variáveis: aquelas que acontecem junto da realização da venda. Impostos e comissões, por exemplo. 
  • Custo do produto: o valor gasto para a aquisição do produto; 
  • Margem de lucro: quanto você quer receber de lucro percentual daquele produto. 

Calcular o markup é fácil, basta adotar a seguinte fórmula: (preço de venda – despesas totais – lucro desejado)/100), sendo que 100 é a porcentagem do preço da venda, que sempre será 100%.

Vamos considerar que você está querendo precificar um refrigerante Coca-cola 2 litros, onde o custo é R$ 4,79. Considerando que você tenha despesas totais de 20% e margem de lucro em 10%.

Assim, o preço de venda é o resultado da divisão do custo do produto pelo markup, ou seja: R$ 4,79/0,7 = R$ 6,84. 

Essa técnica sempre foi muito utilizada, entretanto ao longo dos anos os varejistas perceberam que esse método começou a se tornar ineficiente, já que só leva em consideração as variáveis internas. Com a facilidade ao acesso de informações, o consumidor consegue fazer comparações entre varejistas e por isso decide comprar em determinado lugar em detrimento de outro. 

Como precificar um produto garantindo a competitividade

Analisar a competitividade no mercado, ou CPI – Competitive Pricing Index – é importante para saber se os seus preços estão acima ou abaixo dos concorrentes,  e essa informação poderá te fazer descobrir quais produtos eles estão vendendo e/ou criando promoções. O CPI é um indicador utilizado pelo varejo que nada mais é do que o preço praticado / preço concorrente, o percentual gerado a partir dessa conta é o CPI.

Sendo 100% o resultado no cálculo, seu varejo estará com o mesmo preço que os concorrentes, abaixo de 100% seu varejo estará mais competitivo é o e acima seu preço está mais alto que o mercado.

Mesmo que você tenha os menores preços da região, se seus custos forem muito elevados será difícil manter essa competitividade. Pois tanto os custos como a margem vão influenciar diretamente na formação de seu preço.

Por outro lado, ao conhecer seus custos e quanto ele representa em sua lucratividade, será possível tomar decisões relacionadas ao posicionamento estratégico da sua empresa sem comprometer o fluxo de caixa.

Exemplo: seu produto é ofertado por R$12,00, dos quais R$10,00 representam custos e R$2,00 de lucro. Você pode monitorar seus concorrentes e, em dado momento identificar que todos eles vendem o item por R$11,80 ou menos. Se achar viável, poderá  seguir estes preços de mercado  desde que garanta que todos os custos serão pagos e a venda irá gerar um ganho real.

Aumentando a margem com base na concorrência

Agora imagine que após descobrir seu índice de competitividade com base nos seus concorrentes, o seu time de precificação percebe que o seus produtos estão mais baratos. A partir daí, vocês podem criar estratégias de precificação para chegar mais próximo do valor  praticado pelos concorrentes e gerar mais rentabilidade, ainda assim garantindo a competitividade atraindo novos clientes e fidelizando os que já visitavam sua loja, além de aumentar a margem e lucrar mais com a venda deste produto. 

A Jornada da Precificação 

Como já dissemos, a precificação pode ser um processo complexo se você depender apenas de processos manuais, sem tecnologias envolvidas. 

O ponto inicial é o markup, que como falamos consiste em uma precificação manual com base nos lucros desejados. Já a última etapa consiste em usar a inteligência artificial para definir os preços com base nos comportamentos do consumidor. 

Mark up

  • Decisões baseadas em sentimentos, com precificação manual e margem como KPI principal.

Competitividade

  • Precificação baseada no concorrente, com revisões constantes com alta dependência de dados de mercado.

Regras de negócio

  • Baseado em regras de negócios, foco em aumentar o market share, automatização do processo com supervisão manual.

Previsão de demanda

  • Baseado em regras de negócios, tendo como um dos principais focos aumentar o market share, automatização do processo e algum tipo de resultado de previsibilidade e  com supervisão manual.

Inteligência Artificial

  • Baseado no comportamento do Shopper, ofertas otimizada, balanceamento entre demanda e objetivos

Como precificar um produto com tecnologia

Se você já possui um time de precificação e está encontrando dificuldades em praticar as estratégias, aplicar os preços nas datas corretas e monitorar seus concorrentes de forma dinâmica e assertiva, saiba que existem tecnologias que te ajudam em toda a jornada da precificação. 

Já se você vai abrir uma loja de varejo agora e não sabe por onde começar e achou todas as informações muito complexas para assimilar tudo de uma vez, nós separamos alguns tópicos que você precisa ficar de olho na hora da precificação. 

Por que monitorar preços?

Antes de definir como precificar um produto, é preciso entender como os concorrentes estão precificando.

Você já deve saber que os shoppers que visitam a sua loja fazem comparação de preços com outros varejistas, certo? Além de ter acesso a informações pela internet e poder comparar, inclusive, com e-commerces e marketplaces. É comum que o consumidor vá a diferentes lojas antes de definir onde de fato irá comprar. 

Por isso, assim como eles, você deve monitorar os preços dos produtos dos seus concorrentes diretos e indiretos, além de poder ver como estão sendo praticados preços em outras praças – em casos de expansão de negócios. 

O processo de monitorar preços deve ser constante e faz parte de toda a jornada da precificação, já que até para criar suas estratégias de precificação você precisa saber o preço praticado no mercado daquele produto. 

Monitorar preços pode ser mais amplo do que focar exclusivamente em uma concorrência direta, podendo inclusive fazer uma análise dos varejistas do bairro, cidade, estado e outras regiões do país. 

Melhorar sortimento

Com o monitoramento de mercado, você consegue ter um panorama do que os varejistas estão disponibilizando nos pontos de venda. Ter a informação de novos produtos, preços que estão sendo praticados e entender o que sua loja pode aderir a partir dessa análise. 

No webinário “Competitividade e lucro no varejo físico”, trouxemos esses assuntos para melhor esclarecer as suas dúvidas, assista abaixo: 

Como monitorar os preços do varejo físico com tecnologia? 

Aqui na InfoPrice temos uma solução completa para o monitoramento de preços, somos uma startup RetailTech que desenvolve tecnologia para o varejo físico. O ISA – InfoPanel possui dashboards e gráficos intuitivos com mais de 300 milhões de preços de todo o país para a sua estratégia de precificação. 

São gráficos de evolução de preços, comparação de produtos e um mapa de preços que pode ser filtrado por região, cidade, estado ou loja. Confira mais dessa solução aqui.

Por que monitorar a concorrência antes de precificar um produto?

Se monitorar os preços é essencial para o seu varejo, focar nos seus concorrentes principais é ainda mais importante para entender o que eles estão vendendo, quais são suas vantagens competitivas e como você pode aumentar sua margem e melhorar suas negociações com fornecedores.

Entre os principais motivos para monitorar os concorrentes, estão: 

Posicionamento de mercado 

Ter dados confiáveis do que o seu concorrente está aplicando, quando ele coloca produtos em promoção, quais são os períodos de rebaixa de preço, ajuda a sua loja a se posicionar melhor mercadologicamente. Saber a hora de abaixar ou aumentar seus preços é essencial para a lucratividade e competitividade.

Negociar com a indústria

Com dados de preço você tem mais poder de barganha na hora de negociar com os seus fornecedores e a indústria. 

Vender pelo preço certo é essencial, mas comprar pelo custo correto também é vital para a sobrevivência do negócio. Portanto, ter em mãos informações do quanto a concorrência está vendendo os produtos, evolução e histórico dos preços é a maneira mais segura de chegar em uma negociação comercial com os seus fornecedores. Além disso, tenha os dados das segmentações dos produtos em suas lojas.  

Algumas vezes, dependendo do seu histórico e parceria com o fornecedor, vale a pena compartilhar as informações com ele, para que fique claro a necessidade de possuir um preço mais agressivo em alguns produtos. 

Aumento da margem 

Como falamos no começo deste artigo, o monitoramento do concorrente permite que você consiga analisar o melhor momento de aumentar a margem nos seus produtos. Com os dados do preço, você consegue criar as estratégias certas para manter o seu score de competitividade positivo para o seu varejo. 

Definir concorrentes 

Entendendo a importância de monitorar os concorrentes, agora você precisa saber quem são eles. Para começar a definir, o varejista precisa ter conhecimentos internos. Para isso, organize sua empresa e tenha os dados em mãos: 

Quem são  seus clientes? Qual sua faixa de renda? Quantas vezes ele visita a sua loja? Qual o ticket médio de suas compras? Onde sua loja está localizada? Qual a maior dor dele, qual a proposta de valor que você se predispõe  a oferecer para ele? Ele valoriza as promoções ou ele prefere a qualidade e produtos premiums? E qual diferencial competitivo você tem ou gostaria de possuir? 

Depois disso definido, você precisará realizar uma pesquisa de mercado de seus clientes para entender quem são os seus concorrentes. Com perguntas direcionadas a quais tipos de loja ele visita, qual o local que ele gosta de realizar compras, quantas vezes por mês ele visitou essas lojas, o que ele prefere nelas, quais os diferenciais que ele enxerga. 

Com tantas informações, você pode se perguntar: tenho muitos concorrentes, como priorizo o monitoramento deles? 

  • Primário: o concorrente primário é o que possui maior sobreposição de clientes que vão na sua loja e também vão na loja dele. Sobre este concorrente geralmente determina-se uma meta de competitividade e é realizado o acompanhamento de sortimento e de serviços oferecidos diretamente. Em geral, para cada ponto de venda você possuirá apenas um concorrente primário.
  • Primário por categoria: no caso de você ter identificado um concorrente específico que é muito forte na competição de uma categoria ou seção, você pode direcionar os esforços de competitividade e sortimento para este concorrente apenas na seção ou categoria específicos.
  • Referência ou secundário: em geral são os concorrentes que aparecem como segunda ou terceira opção para seus clientes (depois do concorrente primário). Estes são os concorrentes que você vai olhar e monitorar, mas não necessariamente vai tomar ações diretas no dia-a-dia.
Sugestão de como precificar os produtos com base nos concorrentes

O que monitorar nos concorrentes?

Para monitorar os concorrentes, você precisará definir o que quer ter de dados. Seriam os produtos sensíveis, os não sensíveis? Qual a frequência que você irá querer monitorar e ter os dados? 

Todas essas perguntas devem ser respondidas antes de definir a lista de pesquisa do monitoramento do ponto de venda. 

Pesquisa de preço 

Não tem como precificar um produto de maneira eficiente sem passar por essa etapa. Sem a pesquisa de preço, o seu processo de precificação é míope e você só poderá usar os dados internos. Para ter um monitoramento de preços efetivo, você precisa definir os produtos que irá pesquisar nos concorrentes.

Quais são os tipos de pesquisa de preço?

Existem diversos métodos de pesquisar preço, de acordo com a sua estratégia, orçamento e necessidade é possível adaptar para aquilo que faz sentido para o seu negócio. 

A pesquisa de preço terceirizada é o melhor caminho, não contém erros humanos, não precisa que seus funcionários saiam do local de trabalho e, geralmente, utiliza tecnologia para apuração e tratamento dos dados de preço. 

Confira a comparação completa entre as possibilidades: 

Como montar uma lista de pesquisa de preço?

  1. Caso você tenha optado por uma pesquisa interna, elimine redundâncias na lista de pesquisa para evitar erros;
  2. Defina a cobertura de faturamento que a pesquisa deverá abranger;
  3. Defina a frequência e quantidade por sensibilidade;
  4. Faça uma lista de produtos por dia
    1. Criei um rodízio entre os produtos (sensíveis x não sensíveis, por exemplo);
    2. Priorize itens da mesma categoria na mesma lista;
    3. Utilize a sensibilidade para gerar as lista de pesquisa;

O que são produtos sensíveis? 

Sensibilidade ao preço é um assunto complexo, que merece ser estudado em um blogpost a parte. Mas, explicando brevemente, a sensibilidade ao preço é uma métrica que indica o quanto um consumidor está disposto a pagar por um determinado produto ou serviço. 

Com cada vez mais informações, o cliente tem acesso a diversos preços, principalmente pela internet. Entender quais são esses produtos é essencial para definir a sua lista de pesquisa. 

Falaremos mais sobre esse assunto quando chegarmos aos próximos tópicos da jornada de precificação. 

Como separar a lista por sensibilidade? 

  1. Super Sensíveis

Pesquisa diária da mesma lista de 200 a 250 produtos.

  1. Sensíveis

Pesquisa semanal da lista de 700 a 900 produtos. Rodiziar diariamente a lista de produtos. 

  1. Não Sensíveis 1 (Rotina/Destino/Emergente)

Pesquisa a cada 3 semanas da lista de 5.000 a 6.000 produtos. Rodiziar diariamente a lista de produtos.

  1. Não Sensíveis 2 (Ocasionais/Conveniência/Nicho)

Pesquisa a cada 6 semanas da lista de 5.000 a 6.000 produtos. Rodiziar diariamente a lista de produtos.

Nesse webinário comentamos tudo sobre a definição dos concorrentes e dos produtos para pesquisar, confira: 

Como monitorar os concorrentes com tecnologia? 

Nós temos a solução ideal para monitorar os concorrentes. Com o ISA – Monitoramento PDV, você tem uma pesquisa de preço customizada para a sua necessidade com dados de preço que chegam na frequência e quantidade desejados. Além disso, nossa coleta de preços automática agiliza o processo, reduzindo o tempo do pesquisador de campo nas lojas. Conheça mais sobre essa solução aqui.

Com esses tópicos em mente, concluímos as fases 1 e 2 da Jornada de Precificação, agora como é possível aplicar preços com tecnologia? 

O que é precificação inteligente? 

Precificação inteligente é aquela que entrega os resultados esperados levando em consideração o momento e as particularidades de cada empresa. Não há uma fórmula mágica.

Todas as empresas podem aprimorar o seu processo de precificação, principalmente seguindo as fases da Jornada da Precificação. Como? Veja mais sobre o assunto abaixo:

Como precificar um produto com precificação manual 

Assim como as demais etapas, a precificação manual pode ser feita com planilhas, contudo estarão suscetíveis a erros humanos, problemas em precificar mais de um produto e deverão ser aplicadas loja a loja. 

Criando regras de preço 

As regras de preço servem para automatizar a precificação dos produtos em um determinado segmento. As regras podem auxiliar na precificação de muitos produtos e principalmente em mais de um local. 

Limites de preço 

Outro tópico importante para aprender como precificar um produto de maneira inteligente é selecionar o limite de preço. Essa funcionalidade está ligada a softwares de Precificação. 

Os limites são gerados de maneira manual e/ou automática, via regra de preço, para garantir que caso algum desses preços não respeite a sua política de precificação o responsável consiga analisá-los antes de alterar o preço em sua loja. 

Arquitetura de preços 

Outro tópico importantíssimo é a Arquitetura, que é basicamente a criação de relações entre os preços dos produtos de uma determinada categoria. Essa relação é construída para trazer eficiência para a precificação, mas principalmente para demonstrar coerência entre os produtos ao consumidor. 

Geralmente trabalhamos com os conceitos de arquiteturas diretas e indiretas. No caso da Direta, estamos falando de produtos semelhantes, da mesma marca, mas com pequenas diferenças (como sabor ou gramatura). Neste caso, é importante que, por exemplo, todos os sabores tenham um mesmo preço, ou que uma embalagem de maior volumetria tenha um preço proporcionalmente menor.

Já a relação Indireta, por outro lado, nem sempre é tão clara. Aqui a ideia é manter coerência entre produtos de marcas diferentes, garantindo sempre que a cerveja Itaipava, por exemplo, esteja mais barata que a cerveja Skol. Temos sempre que levar em consideração a função que um determinado produto desempenha dentro da categoria, e precificar de acordo.

Sensibilidade de produtos 

Você sabia que um consumidor pode ter lembranças de preços devido sua frequência de compras?

Esses produtos variam de cliente para cliente, claro, mas quanto mais clientes souberem o preço médio de determinado produto, mais relevante esse produto é na formação da imagem de preço da sua loja. Podemos dizer que esses produtos são mais sensíveis para se precificar, pois os clientes conhecem e comparam seus preços antes de ir ao supermercado.

Como saber quais são esses produtos? O ideal é que você leve em consideração alguns fatores como Frequência de Compra, Penetração em Tíquetes, Elasticidade e o Faturamento de cada produto. Em torno desses fatores, precisamos criar um score, e ranquear os produtos do mais sensível para o menos sensível.

Esse ranking de sensibilidade é bastante útil, podendo ser utilizado para montar listas de pesquisa de concorrência, definir regras de precificação e analisar os resultados de maneira segmentada. 

Medição

É claro que você precisará realizar a medição dessas mudanças de preço. Saber se a estratégia de preços continua fazendo sentido, entender que todos os processos citados devem ser constantemente monitorados através de métricas, preferencialmente num BI centralizado e disponível para toda equipe. 

Inteligência Artificial 

A última e mais avançada etapa da Jornada da Precificação é a Inteligência Artificial. 

Os algoritmos surgem como solução para os varejistas. 

Por meio da previsão da demanda, elasticidade preço-demanda, sensibilidade do produto e a otimização de preços, realizando a precificação dinâmica, tanto para os produtos individuais quanto para as categorias. 

Como precificar um produto com IA?

A resposta direta é ter um software criado para isso. Nós desenvolvemos o IPA – Software de Precificação, com ele você tem acesso a todos os tópicos citados – da precificação manual até a inteligência artificial. Conheça essa solução aqui.

O núcleo P&D da InfoPrice construiu um algoritmo do tipo Multi-Armed Bandit (MAB) e um de programação quadrática robusta (RQP). O MAB é um método parametrizável que se baseia em testes inteligentes para encontrar um preço que otimize uma variável de recompensa, pode ser receita, lucro, demanda, visitantes na loja, entre outras. Já o RQP possibilita a otimização por categoria de produtos, determinando todos os preços da categoria de forma a maximizar a receita total dela respeitando a dispersão de preços ao longo do tempo. 

Saiba mais sobre essa parceria com a FAPESP, clicando aqui.

Monitoramento dos concorrentes no varejo online 

Sabemos da importância de monitorar os concorrentes em todos os cenários. Do varejo físico aos marketplaces, saber como os seus concorrentes estão criando promoções é essencial para se manter lucrativo no mercado. 

Por isso, temos uma parceria com a Precifica, que realiza o monitoramento no cenário digital – e-commerces, marketplaces e outros, para que o varejista esteja completamente amparado por uma pesquisa de preço assertiva e com dados qualificados para tomar as melhores decisões na hora de definir o preço dos produtos. 

Conheça o monitoramento digital da Precifica aqui.

Como comunicar o preço para os clientes

Tão importante quanto monitorar os preços do varejo físico e digital, está a execução desse preço no ponto de venda. É importante assegurar que a comunicação do preço, nas gôndolas e tablóides, por exemplo, seja a mesma que foi definida no software de Precificação. 

A Pricefy, especialista na comunicação de preços, desenvolve softwares que ajudam o varejista a comunicar os preços definidos pelo time de pricing. As soluções vão do cartazeamento às etiquetas, da auditoria dos preços e ao marketing digital.

Depois dessa explicação sobre a Jornada da Precificação, ficou fácil entender como precificar um produto com tecnologia no varejo físico, certo? Caso ainda tenha dúvidas, nossos consultores e especialistas em Precificação estão disponíveis para te ajudar a entender o melhor cenário e como usar nossas soluções para atingir os seus objetivos. 

Fale conosco!


Mateus Borge é Community Manager da InfoPrice. Apaixonado pela escrita, se formou em Jornalismo, mas foi no Marketing que achou seu grande porquê. Cuida das redes sociais, eventos, parcerias e comunidade relacionadas ao Varejo e Pricing.

Deixe um comentário